quinta-feira, 22 de julho de 2010

2- Almoço de fim de semana

-Que horas vai ser o forró amanhã?- João me perguntou enquanto eu fazia a salada no apartamento deles.
- Forró? – perguntei rindo.
- Seu aniversário...- ele me lembrou, ele tinha me tirado dos meus pensamentos e eu quase não entendi a pergunta.
- Já te falei cinco vezes hoje, que vai ser as oito da noite.-
- É bom te encher o saco, ainda mais quando você está cortando tomates.-
- Quê que tem eu cortar tomates?-
- Você corta errado.-
- E tem jeito certo? – Percebi que os meninos e a Gi riam da nossa conversa.
- Não fala isso João, é o tomate mais bem cortado do mundo. Um dia essa menina entra pro livro de recordes. – Cauã me deu um beijo no rosto e analisou a vasilha de tomates picados, rindo.
- PUXA SACO!- João exclamou e causou risos, pegou um dos tomates picados com o garfo e continuou – Ela assassinou os tomates, parece que usou uma arma.-
- Tecnicamente, facas são armas.- Álvaro disse passando pra sala de jantar com o forro de mesa verde limão que minha avó deu pra eles.
- É mesmo! Muita gente morre esfaqueado. – Vicente disse, pausando pra pensar – Eu matei meu hamster a facadas quando eu tinha oito anos.- Continuou fazendo o arroz, enquanto todo mundo olhava paralisado pra ele.
- Você já era retardado nessa época?- Eduardo perguntou.
- Não mais que você!- Vicente jogou água nele.
- Isso prova que a Julie realmente esfaqueou os tomates.- Álvaro disse quando voltou e riu na direção de João.
- Pô, os tomates são da Julie e ela corta como quiser!- Gi me defendeu e tirou o copo de água e a faca da mão de Vicente. – O Jean e o Edgar tão demorando pra comprar essa Coca...-
- Mandei o Ed passar na casa da empregada e pagar a faxina que ela deu quarta.- Edu explicou.
Os meninos chegaram um tempo depois, deu pra arrumarmos a mesa, ligar o rádio baixinho e abrir a porta da sacada.
Almoçávamos em silêncio quando a Gi disse:
- Edgar, pensei que ia chamar a Laura pro almoço.-
- Eu ia, mas ela viajou pra casa do irmão dela no interior.- Edgar não estava namorando com a Laura ainda, apesar de querer muito isso.
- Eu não sabia que a Laura tinha irmão.- João disse.
- Pois é, eu também não.- Edgar respondeu.
- Será que a Laura tem irmão mesmo? – João não perdia uma chance de implicá-lo e começamos a rir.
- Nossa, João, você precisa de uma namorada urgente!- e Edgar fechou a cara, paramos de rir, até eu dar um ataque de riso e fazer todo mundo quase chorar uns dois minutos depois. Edgar me fuzilava.

Beijos,
Marcella Leal

9 comentários:

Livi disse...

Adorei'
Conheço um João que é exatamente assim!
Beijoo

Livi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Deborah Acordi disse...

Nossa, perfeito. Muito gostoso de se ler, adorei mesmo. A gente lê e fica imaginando cada cena, rosto, lugar. Acho muito legal a relação entre a Julie e o João, tão familiar.
Beijos, até.

Gabriela Petrucci disse...

Não vou com a cara dessa Laura, não! Hunf!

Amandha Pereira disse...

Nooossa ! Eu particularmente estou adorandooo !!

p.s. : eu quero o João pra mim !

beijoos

Henrique Miné disse...

xii, as meninas já começaram a brigar pelos personagens, é? :B

HAHA, continua logo isso aí! :b

Alice Duarte disse...

kkk, que medo, matou um hamster com a faca... credo credo.

Ana disse...

Aaaah, adorei!

Júliaa St. disse...

hahaa ' taa mt boom marcela :D
beem a seu estilo matar hamister com faca , esfaquear tomates, ataque de riso :D
adorei :}