segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Sob O Céu - Capitulo 10 (Amor)



Os meninos estavam de bermudão, eu e a Gi de shorte e parte de cima do biquini, percebi que Eduardo tinha achado atraente nossos biquinis... Seguravámos as chinelas nas mãos, e andavamos tão proximos ao mar que podiamos sentir a água gelada tocar nossos pés.
- Álvaro, te fiz uma pergunta mais cedo e você não me respondeu.- Edu disse, Álvaro o olhou.
- Se você não ama a Elisa, porque continua com ela?-
- Poque ela me ama.- ele respondeu, eu ri e eles me olharam.
- Você não devia fazer isso Álvaro, ela te ama, mas você não sente o mesmo, e já que é assim devia dizer a verdade a ela. Como você ficaria se alguém que não te ama fingisse que amava só porque sabia que era isso que você sentia por ela?-
- Eu me sentiria mal, traido, idiota, burro... Mas, eu não tenho coragem de dizer que não quero mais nada, e eu já amei sem ser amado, quando ela terminou comigo sofri muito.-
- Pena é o pior sentimento que se pode ter.- Vicente disse.
- Discordo de você, ódio e o pior sentimento.- disse João.
- Primo, pelo menos tem mais sentimento no ódio do que na pena,a pena é a ausência de sentimento.- Gi disse.
- Eu sempre achei que o ódio fosse a ausência de sentimento.- Cauã parecia confuso.
- Não, pra você ter ódio de alguém você precisa de motivos, você precisa de outro sentimento. Ninguém odeia só por odiar. A pena realmente é o pior sentimento do mundo.- eu disse, ficamos em silêncio um tempo.
- Eu tô ficando com uma menina, ela disse que me ama.- Cauã confessou.
- O que você disse?- Eduardo perguntou.
- Eu disse que “amor” era uma palavra muito forte, mas eu não sabia se isso era verdade.- o menino grande, parecia pequeno e confuso.
- É verdade.- eu disse, ele sorriu – Ainda bem que você dá valor a essa palavra.- Andamos em silêncio por minutos, o vento batendo e o sol se pondo.
- Isso foi legal!- Edu exclamou.
- Falar de sentimentos é legal.- João disse rindo.
- Ah cara! Deixa disso!- Vicente reclamou e chutou água nos dois, que retribuiram o carinho.
De repente estavamos nós quatro dentro da água, os chinelos na areia, junto com o meu shorte e o da Gi. Um casal de senhores passou, riu e apontou para nós. A chuva caia sobre a gente, e percebi que tomar banho de chuva,acompanhada, dentro do mar era a melhor coisa do mundo. Vicente carregava Giovanna nas costas e eu pulava ondas com o Eduardo e o Cauã, João e Alvaro nadavam para o fundo do mar, ficamos ali até um salva vidas dizer que o mar estava perigoso e era pra gente sair.
A lua veio ficar sobre nós de novo, um hippie passou com um violão, ele tocava algo irreconhecível, nós sete sentados na areia, em frente ao mar, Edu olhava o céu estrelado e azul escuro, Cauã me abraçou, Gi não percebeu quando deitou-se no ombro de Vicente. João deitou na areia, e Álvaro usou nossos shortes como travesseiro.
- Passou um cara e ficou olhando pra gente.- ele riu.
- Povo curioso!- João exclamou.

Escrito por: Marcella Leal (www.cabelocorderosa.blogspot.com)

Créditos da foto: Viagem de férias a Santa Catarina. Praia da Ilhota (própria para o surfe, não é apropriada para o banho) Itapema. Fotografa: Eu

6 comentários:

Feh Barbieri disse...

Ameii *-*

Henrique Miné disse...

hmm, ja está até nos abracinhos então?
;x


Eu odeio pessoas só por odiar, sem conhece-las.

Sabe, cada vez mais vc me convence que sou estranho...

PituXa disse...

aiiih deus ta chegando a parte booa *----*

Lari :* disse...

Tá sempre tão meiga a história, ai :')

Lélla disse...

cada dia esse livro fica mais interessante :D

Ariel Augusto ( Japa ;P ) disse...

Sentimentos aparecendo sempre é bom, e sim o ódio pra mim é falta de outro sentimento , ou razoes que fazem isso acontecer