quinta-feira, 30 de julho de 2009

Sob o Céu - Capitulo 1 (Café)

Devo contar a vocês como é que as coisas aconteceram e como tudo começou, mas acho justo apresentar-lhes aos personagens dessa história antes de prosseguir com ela.
Era sábado, cinco e meia da manhã e eu acordei assustada com um barulho que vinha do andar de baixo da casa da vovó. Sempre tive medo dessa chácara, mas nunca imaginei que algo fosse justificar esse meu medo, com esse pensamento desci as escadas em silêncio. Eu o encontrei de costas, ele usava uma blusa branca amarrotada e um bermudão xadrez extremamente velho, ele era meu primo: João Roberto.
- João. - eu disse, acho que grata por ser ele e não o bicho papão. Ele também deve ter se assustado, porque virou com uma rapidez surpreendente, segurando uma panela pelo cabo.
-Julie!- ele exclamou, acho que grato por ser eu e não o bicho papão. Fiquei olhando para ele, e minha capacidade de raciocínio às cinco e meia da manha não permitiu que eu pensasse nada inteligente para dizer, então ele continuou nosso diálogo.
- Eu não sabia que você também madrugava. -
- É porque eu não madrugo. -
- Então porque madrugou?- ele sorria timidamente.
- Você me acordou. - eu disse depois de um tempo.
- Desculpa, é que a panela de fazer café tava escondida no fundo do armário. -
-Panela? Como faz café na panela?- eu fiz ele rir, mas sem ter essa intenção, como eu já disse, minha capacidade de raciocínio não é das melhores a essa hora.
- A panela que a gente usa pra ferver a água que faz o café. - eu levantei o olhar, me sentei em volta da mesa de madeira à frente do fogão, onde ele estava.
- A vovó não costuma ficar muito na chácara, deve ser por isso que a panela tava no fundo do armário. -
- Só a gente pra tirar a grande Doutora Salette Matarazzo da calma da civilização. - Eu ri e fiquei observando os gestos dele enquanto fazia o café.
João tinha dezoito anos e eu dezesseis, a gente deveria se conhecer melhor, mas João morava no Rio de Janeiro e o visitei pouquíssimas vezes, a ultima vez que eu o vi antes dele e dos meus tios mudarem para Santa Catarina foi no meu aniversário de quinze anos. Esse era um dos motivos pelos quais nós não passávamos as férias na casa da vovó, e agora que todos os seus netos estavam de volta a Santa Catarina, ela resolveu mudar isso, de um jeito típico da vovó, mandou os mais novos para um acampamento e os com acima de catorze anos ela mandou para a chácara.
- Aceita café?- ele perguntou, tirando-me dos meus pensamentos.
- Sim. - ele me serviu - Obrigada. - levei a xícara rapidamente à boca, e depois de queimá-la coloquei a mão na boca com expressão de dor.
- Toma cuidado, sua doida! Isso é feito de pó, açúcar e água fervendo!- ele tirou a xícara da minha mão, eu comecei a rir.
Depois de um tempo eu abri um pacote de bolacha Passatempo recheada de morango e coloquei entre nós dois na mesa.
- Porque você não quis ver o filme ontem a noite?- perguntei.
- Tava cansado, e o moleque de catorze anos me dá medo.-
- O Edgar?- eu sorri.
- É, ele é estranhão. -
- Ele era um menino normal, até pouco tempo. De um ano e pouco pra cá que ele ficou assim. -ele riu.
- Puberdade?- ele brincou, eu ri de volta.

Escrito por: Marcella Leal (www.cabelocorderosa.blogspot.com)

Créditos da foto: http://www.objetosdedesejo.com/2006/10/



19 comentários:

Pi disse...

Pelo pouquinho que eu li já fiquei com agúa na boca... Esperando o próximo capitulo.
Xoxo
PI
P.s: vivopensandoque.blogspot.com

Taah ♥ disse...

Oiiii, li adorei! aguardo o proximo capitulo.

Beijo :)

Mariana Andrade. disse...

aaaaaaaah, quero o capitulo doois. amo teu modo de escrita, marcella, aposto que essa história será surpreendente!
bjos ;*

D.Ramírez disse...

Mais um belo começo, pelo visto promete!!! Parabéns por mais esse blog, me avise pelo capitulo seguinte.
Besos

Henrique Miné disse...

sabe o que me pareceu, que vc esta do meu lado, contando-me essa historia.
E essa sensação é maravilhosa.
xD

Aguardo o capitulo 2 e, ainda mais, para conhecer o tal de Edgar.
Ou ele não esta na historia?

BEeijos.

Ana disse...

nossa amei, muito bom.
OISAOSIAISAOISAOISA. amei mesmo.
beijos :*

Marco Y disse...

Acabei de chegar e já estou já estou gostando.

Volto para ver o próximo trecho!

bjos

" =I s α '-' disse...

Uui *-*
Estou amando! Está muito bem escrita, viu? E esse comecinho deixou um gostinho de 'quero mais'... *-*
Beijos!

Maxwell disse...

- Espero o resto da história ;)
Ficou ótima como de costume são suas histórias né Marcella ;)
Beijo

Fernando disse...

olá marcella
gostei muito deste inicio sim
penso que valeu a pena seu esforço
até segunda rs rs rs
bjsssssss
gde abrssssssss
fernu.;...7

Sabrina Vaz disse...

Ai Droga! Porque você tem que cortar assim sem mais nem menos? Tava empolgadona...

Nova Meg Cabot Brasileira, parabéns.


A Julie TEM que ficar com o João!

Leh disse...

Voce escreve muito bem.
Continue assim!!!

Esperando o proximo capitulo!!!

Rafa Cullen disse...

ain, fiquei curiosa ;x o que tem o edgar de tão assustadoor? o que aconteece? quero o capitulo dooois *-* n me mata de curiosidade!
beijinhos ;*

Jerri Dias disse...

Legal.

Gostei da repetição da bicho papão, boa sacada.

Mas tome mais cuidado com a pontuação. Tem muitas vírgulas onde deveria ter ponto final.

Vamos ver o resto...

isabella M. disse...

uau,adorei..quero mais *-* voocê escreve beem :D

Patriny Marcelle disse...

Gostei do início da história, estou curiosa para continuar lendo.
Bjoks

Marcela disse...

Ahh.. que delícia *---*
Já me encantei com eles, e tenho ctz que a historia inteira está incrível!!

;**

B. disse...

Volto na quinta !!
Ainda bem que decidi vir aqui,memso quase indo durmir,parei pra ler,e que sorte.
Não me decepcionei com o texto e sim me criou a expectativa pra o prox capitulo!

PituXa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.